domingo, dezembro 09, 2007

Piqueno Desafio

Olá pessoal. Tive uma ideia. Hoje, Domingo dia 9, e até daqui a 2 semanas (Domingo, dia 23), lanço um desafio aos criadores de piadas secas que proliferam pela internet fora e que visitam este espaço. O desafio é simples e consiste no seguinte: criar uma piada seca alusiva ao Natal.

A(s) melhor(es) piada(s) será(ão) escolhida(s) para postagem especial e personalizada no dia de Natal.

Regra nº1 - Qualquer tema vale, até piadas sobre a manjedoura do menino Jesus.
Regra nº2 - A piada tem de ser enviada para o mail do blogue (tempo-de-secura@hotmail.com), para não estragar a surpresa e manter o suspense.
Regra nº3 - À excepção das regras anteriores, anarquia total!

O prémio é ter a piada bem lá no topo do blogue com os devidos créditos (e, se houver orçamento disponível, uma "chicla de mentol"). Por isso, força nisso. Têm 2 semanas para abrir a possibilidade de brilharem neste espaço de forma tão luzidia como a estrela que guiou os Reis Magos.

17 comentários:

Anónimo disse...

E quem nao gosta de "chicla"?

Luis Oliveira disse...

Arranja-se algo consoante a pessoa que ganhar. :)

Anónimo disse...

E quanto a despedir o "tio" Takis, nao concordo que ele seja despedido devido a ser um simples ser hermafrodita.
Há por ai tantos que nem classificação têm, que neste caso, ser hemafrodita até é uma vantagem.
Força Takis, estamos contigo.
P.s:Se fores despedido, deixa.mos de estar.xD

Anónimo disse...

Tou para ver o que se arranja.
Porque não devo ser a única a não gostar..acho eu.

Luis Oliveira disse...

Também depende das expectativas de cada pessoa. E o conceito de prémio é relativo.

Mas diz lá então um prémio que se possa dar. Pode ser que esteja ao meu alcance.

Renato R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

HUMOR NEGRO :
O que é mais engraçado que um bebé morto ?

Um bebé morto vestido de palhaço.

Retrofoguetes disse...

Se eu ganhasse essa "chicla" seria a chicla que eu mascava com mais gosto.

retrofoguetes disse...

email correcto, precisa-se.

Anónimo disse...

Qual é o mail do blog? lol

E para nao postar so por causa de uma pergunta estúpida mas sincera... uma piada que nunca teria hipoteses de tão fraca que é.


Enquanto Jesus Chorava a Maria.

retrofoguetes disse...

(tempo-de-secura.blogspot.com)

penso eu que isto nao é um mail -.-

Luis Oliveira disse...

Peço desculpa, pessoal. É o que faz andar a dormir e a pensar em coisas diferentes do que se escreve...

O mail correcto é tempo-de-secura@hotmail.com

Boas invenções! ^^

Anónimo disse...

Tenho uma lista extensa e variada de prémios possíveis. Se quiseres posso enviar.

Luis Oliveira disse...

Sim, sim. Envia pró mail, sff. Estou curioso.

Pedro Oliveira disse...

opa este textozinho q encontrei é um bocadinho grande, mas vale a pena postar ta tao lindo xD aqui vai:

O canibalismo é bom.

*CONVERSA REAL DE UM CENTRO DE APOIO A CANIBAIS. OS NOMES FORAM RETIRADOS PARA PROTEGER A IDENTIDADE DOS ENVOLVIDOS*


Homem nº1 - (entra na sala e sobe ao estrado) Olá, eu sou o *******, e sou canibal.

Todos - (em coro) Olá *******!

Homem nº2 - Bem, *******, como sabes, estás aqui completamente anónimo, portanto podes responder a tudo sem o mínimo de vergonha ou discrição. Apesar disso, se te sentires incomodado com alguma das perguntas, podes não responder. Ninguém vai ficar..TÁ QUIETO, ******, LARGA-ME JA A PERNA OU APANHAS-ME UM MURRO NESSA BOCA QUE NÃO TE LEVANTAS MAIS PRÓ RESTO DA SEMANA! Onde é que eu ia? Ah, sim. Se não responderes ninguém vai ficar ofendido, ok?

Homem nº1 - Ok.

Homem nº2 - Então vamos começar. Como é que descobriste que eras canibal?

Homem nº1 - Bem, penso que no meu íntimo sempre soube. Mas a altura em que realmente me apercebi foi quando, um dia, ao fazer o jantar, me faltava uma perna de frango para fazer uma tarte, e portanto usei a coxa do meu mais novo, temperadinha com pimenta e um bocadinho de oregãos. Como na semana anterior tinha usado um bocado do antebraço da minha mulher para fazer uma massa bolognesa, fiquei desconfiado. Mas agora aprendi a controlar-me, e evito usar muito sal enquanto cozinho. Hum, eu não queria incomodar, mas o senhor podia parar de pôr ervas aromáticas na minha mão?

Homem nº3 (com um ar lunático) - Mas como é que quer que eu faça um rolo de carne decente sem ervas aromáticas?

Homem nº1 - Então, eu realmente preferia que não fizesse um rolo de carne com a minha mão. Ou qualquer outra parte do meu corpo, agora que penso. Quer dizer, poderia usar o meu enorme pe...

Homem nº2 - OK, VAMOS MUDAR DE TEMA, PODE SER? Então, explique-nos, depois de comer os seus filhos, o que é que fez?

Homem nº1 - Bem, dei os restos ao cão.

Homem nº2 - E depois o que fez do cão?

Homem nº1 - Nada, o que é que haveria de ter feito? Você acha... acha que eu COMERIA O MEU CÃO? MAS VOCÊS SÃO DOENTES! DOENTES! METEM-ME NOJO!

Homem nº2 - Vamos, tenha calma, ninguém falou em comer o seu cão! Ninguém pensou nisso. Tenha calma. Ninguém aqui come os cães de ninguém.

Homem nº1 - Espero que não. O Hamburguer não é cá para se comer...

Homem nº2 - Não tem de se preocupar. Falemos agora da sua mulher. Como é que ela aceitou o facto de o senhor ser canibal?

Homem nº1 - Bem, a verdade é que eu não lhe disse, ela descobriu uma noite, em que, durante o acto de fazermos amor, eu me enganei e em vez de lhe chamar Matilde, como costumo, lhe chamei croquete.

Homem nº2 - Mas há muitas pessoas que usam nomes de comidas para se referirem carinhosamente aos seus cônjuges.

Homem nº1 - Mas não há muito que depois lhes tentem arrancar uma orelha à dentada. E conseguem. Depois disso, ela pegou nas duas crianças que sobravam (íamos ter visitas no dia seguinte, portanto tive de usar um deles para fazer um refogadozinho. Escusado será dizer que a minha mulher cancelou o jantar. Tive comida para duas semanas) e levou-as para fora do país. Mais tarde apareceu um simpático agente da polícia.

Homem nº2 - E como resolveu esse assunto?

Homem nº1 - Então, com uma lasagna.

Homem nº2 - Ofereceu um bocadinho ao agente?

Homem nº1 - Não. Usei-o para a fazer.

Homem nº2 - Há restos?

Homem nº1 - Concerteza. Quer provar um bocadinho?

Homem nº2 - E isso ainda se pergunta?..

(Saem da sala. As duas pessoas restantes arrumam as cadeiras, saem, trancam a porta, e vão à procura de mendigos para o jantar.)

Anónimo disse...

Para o Pedro Oliveira:

Adorei o texto, mas podia ter dito qual era a fonte.

Depois de algum googlanço, encontrei:
http://ate-mete-impressionante.blogspot.com/2007/12/canibalismo-bom.html

Disclaimer: Não tenho nada a ver com o blog acima.

Luis Oliveira disse...

Errado!

O texto que o Pedro Oliveira meteu é de 10 de Dezembro.

O blog que citou meteu o mesmo texto a 28 de Dezembro e esse blog é à base de copianço deste meu. Muito original, portanto.